fbpx
Artigos

9 FORMAS DE SE TORNAR MAIS CORAJOSO

A coragem é uma qualidade universalmente admirada. É celebrada em todas as culturas do mundo, em todas as épocas. É uma das “virtudes táticas” da masculinidade. E serve não apenas como fundamento da excelência masculina, mas de todo tipo, pois, como observou Winston Churchill: “A coragem é justamente considerada a primeira das qualidades humanas… porque é a qualidade que garante todos as outras”.

Embora muitas vezes pensemos em coragem em termos de bravura física – arriscando a vida e a saúde para salvar uma criança de um prédio em chamas -, também buscamos essa qualidade em situações morais e sociais. Precisamos de coragem para conversar com desconhecidos, defender nossas crenças, iniciar um negócio, mudar de carreira, mudar para um novo lugar ou expressar discordância em uma igreja, clube ou reunião de negócios. É uma qualidade que usamos em qualquer situação, grande ou pequena, na qual existe ao menos um pouco de medo e risco, e isso acontece quase todos os dias.

Felizmente a coragem não é o tipo de coisa que você nasce com ou sem. É uma qualidade que pode ser deliberadamente desenvolvida. Como Robert Biswas-Diener coloca em O Quociente da Coragem, “a coragem é um hábito, é uma prática e é uma habilidade que pode ser aprendida”.

Hoje vamos mostrar como.  

Café Parabellum

Como se tornar mais corajoso

Frequentemente ouvimos que a coragem não é a ausência de medo, mas a capacidade de sentir medo, mas agir de qualquer maneira.

O medo em si não é uma coisa ruim. Às vezes te avisa de ameaças legítimas e te prepara fisiologicamente para estar pronto e alerta para o que vem a seguir. Como diz Biswas-Diener, “a própria experiência do medo em si é o momento da indicação, o sinal de que a possibilidade de ação está se abrindo e, portanto, é preciso fazer uma escolha… o medo é o primeiro passo para a coragem. Pode ser a catapulta que nos lança adiante em ações heroicas, grandes e pequenas.” O medo nos desperta para o fato de que uma oportunidade chegou.

O medo só se torna um problema quando não é proporcional ao risco real e/ou o impede de fazer algo que é certo ou será para o seu crescimento.

Embora seja verdade que coragem não é a ausência de medo, sua capacidade de agir em sua presença depende muito de sua capacidade de suprimir e controlar essa emoção. Quanto mais baixo e menos paralisante seu medo, mais capaz você será de passar por ele para agir.

A habilidade da coragem consiste, portanto, em grande parte no desenvolvimento de sua capacidade de administrar seu medo.

Aqui estão algumas maneiras testadas pelo tempo e apoiadas pela pesquisa para fazer isso:

  1. Faça reconhecimento para remover aspectos do desconhecido.

Quanto menos sabemos sobre algo, mais aumentamos nossa avaliação de risco. A incerteza gera medo.

Para reduzir a incerteza e, assim, acalmar seus nervos, faça o máximo de reconhecimento possível em um evento/situação em que você esteja entrando. Reúna o máximo de informação possível. Faça um teste a seco.

Por exemplo, se você tiver uma entrevista de emprego chegando, vá até onde ela será realizada no dia anterior, para saber como chegar lá, quanto tempo o percurso levará e onde estacionar. Faça alguma pesquisa sobre a empresa e também sobre o entrevistador, se possível. Descubra como os funcionários atuais se vestem (observe-os saírem do escritório no final do dia, se necessário), para que você possa avaliar como se vestir.

Ou se você está nervoso sobre um evento em que deverá falar em público, visite a sala de aula ou auditório em que você vai dar o discurso com antecedência. Fique no palco para imaginar como será sua fala.

As coisas são menos assustadoras quanto mais você sabe o que esperar.

  1. Use técnicas de relaxamento.

Um pouco de medo te anima. Muito medo te paralisa. Para reduzir seu medo a níveis administráveis ​​e manter sua resposta fisiológica sob controle, use várias técnicas de relaxamento. Estes podem incluir o alongamento e o relaxamento de todas as partes do corpo , técnicas de respiração e a meditação.

  1. Seja habilidoso.

Você provavelmente já ouviu falar do “efeito espectador”; o fenômeno bem documentado em que as pessoas são menos propensas a prestar ajuda ou a intervir um delito quando estão numa multidão, do que quando estão sozinhas. Pesquisas descobriram que parte do motivo desse efeito é que as pessoas acham que alguém vai ajudar – alguém mais qualificado do que eles mesmos. As pessoas podem querer ajudar, mas não sabem como. Por outro lado, e não tão surpreendentemente, a pesquisa também mostra que espectadores que se sentem competentes têm maior probabilidade de ajudar os outros.

Dada a diversidade de cenários que envolvem risco e perigo, vale a pena desenvolver uma ampla gama de habilidades, desde autodefesa e primeiros socorros, a mecânica de automóveis e a capacidade de falar uma língua estrangeira. Quanto maior o seu grau de savoir-faire – o conhecimento do que fazer em qualquer situação – mais corajoso você será.

  1. Faça amigos.

Embora o poder de estar em um contexto de grupo seja geralmente pensado de forma negativa – pessoas usando o anonimato da multidão para se esconder ou ceder aos seus piores impulsos – também funciona ao contrário; a presença de amigos e familiares pode aumentar sua disposição de agir em direções positivas.

Os entes queridos criam um compromisso; se você disser que está fazendo alguma coisa, o pavor da vergonha vai estimular você a manter sua palavra.

A presença de familiares e amigos também pode transmitir uma fonte de conforto e confiança que diminui o medo. Isto é verdade se eles estão apenas presentes com você, e duplamente se eles estão dispostos a participar ao seu lado. Muita coragem é adquirida na dinâmica “Se você fizer isso, eu farei isso também!”. Há menos a temer quando você está fazendo algo junto com outras pessoas que te dão apoio e cobertura.

De fato, pesquisas mostram que, quanto mais coesos os membros de um grupo – quanto mais amigos eles são – menor a probabilidade de serem inibidos pelo efeito espectador e maior a probabilidade de tomarem uma ação positiva em uma situação crítica e perigosa. Isto é particularmente verdadeiro para um grupo exclusivamente masculino . Chame isso de efeito “Band of Brothers”.

  1. Carregue um talismã.

Você pode pensar que o uso de amuletos da sorte ou totens religiosos é irracional, mas estudos indicam que eles podem lhe dar mais confiança. A pesquisa mostrou, de fato, que os amuletos de boa sorte melhoram efetivamente o desempenho em tarefas mentais e físicas. Existe justificativa para alguns atletas colocarem roupas de baixo da sorte ou comerem uma refeição ritualística antes dos jogos, afinal.

Para aproveitar o poder do pensamento mágico, use ou carregue um totem especial em situações em que você está nervoso. Pode ser uma peça de roupa ou jóias (como o antigo relógio do vovô), uma lembrança, uma moeda ou uma foto. Qualquer coisa que tenha significado especial para você e faça você se sentir mais calmo e confiante – qualquer coisa que você acredite ter a menor chance de fornecer poderes de proteção, dando-lhe boa sorte, ou simplesmente colocando um pouco de ânimo em seu caminho. Mesmo que você não seja um pensador supersticioso, ainda pode fornecer uma sensação extra de conforto e determinação.

  1. Pense menos em você.

Quanto mais você pensa em si mesmo, com mais medo fica de agir. Crises de egocentrismo causam medo e fazem seu desempenho cair. Quando você se concentra em como você está e como está se sentindo, quando você acredita que todo mundo está te observando, você se torna autoconsciente, e quando você se torna autoconsciente, fica paralisado e desajeitado.

Quanto mais você mudar seu foco para fora, mais corajoso você se sentirá.

Concentre-se nos sentimentos de outras pessoas, em vez do seu. Em vez de pensar em como você está se saindo com uma pessoa nova com quem está falando, pense em como ela está. Ela está se divertindo? O que você pode fazer para deixá-la à vontade?

Em outras situações, concentre-se em uma missão ou propósito, um senso de serviço, em vez de suas próprias vulnerabilidades. Coloque a si mesmo em uma causa maior que você.

A coragem é mais forte quando você é corajoso por alguma coisa.

  1. Assuma seu papel.

Relacionado com o ponto acima, uma forma eficaz de se tornar menos autoconsciente é pensar nas ações que você precisa tomar como consequências do papel em que você está, e o que esse papel requer em termos de suas responsabilidades e obrigações para com os outros. Isso cria um modo de ação mais impessoal que pode te liberar e dar mais ousadia.

A reação dos socorristas, que correm em direção ao perigo em vez de fugir dele, é facilitada pelo fato de que eles sabem que esse é o papel deles. Em tais situações eles se tornam menos João, Maria ou Carlos, e mais um bombeiro, um policial, um médico; sua identidade se torna menos pessoal e mais sobre o trabalho que eles têm que fazer.

Um pai que se sente um pouco intimidado ao se reunir com o diretor da escola do seu filho, pode se sentir mais encorajado ao lembrar-se que ele é o patriarca de sua família, encarregado de proteger seus filhos. Um cara que muitas vezes se sente tímido como convidado de uma festa, pode realmente sair de sua concha ao se tornar um anfitrião de uma festa, que tem um papel específico e deveres claramente delineados para cuidar. Um supervisor que acredita que seu trabalho é cuidar de seus subordinados, pode se sentir fortalecido para defendê-los contra uma decisão injusta transmitida pelos superiores.

  1. Exercite 20 segundos de coragem insana.

No filme Compramos um Zoológico o personagem de Matt Damon diz ao filho, que está lutando para compartilhar seus sentimentos com uma garota que ele gosta: “Sabe, às vezes tudo o que você precisa é de vinte segundos de coragem insana. Apenas literalmente vinte segundos de bravura constrangedora. E eu prometo a você, algo grande acontecerá”.

O medo pode parecer esmagador se você acha que vai ter que vivê-lo por dias ou horas. Mas todos podem enfrentar o medo por apenas 20 segundos. Ou ainda menos. Muitas vezes, você só tem que tomar uma ação simples, derrubar o primeiro dominó, e isso define todo o curso das coisas em movimento. O dado é lançado! Você força sua própria mão; você queima a ponte atrás de você; você não tem escolha a não ser se envolver com o que vem a seguir.

Tudo o que você precisa é de um único momento de coragem louca para enviar um texto pedindo desculpas a um velho amigo, ou discar um número para perguntar a um contato sobre uma oportunidade de trabalho, ou confessar seus sentimentos a uma paixão de longa data.

E isso pode ser literalmente o suficiente para mudar todo o contorno da sua vida.

  1. Faça algo assustador uma vez por semana.

A coragem é comparada a um músculo que precisa de treinamento regular para ser mantido forte. Você não pode esperar nunca exercitar sua bravura, e então, de alguma forma, poder recorrer a ela em uma emergência. Ela tem que ser mantida “em forma” através de pequenas escolhas, para você ser capaz de empregá-la a serviço das grandes.

Você pode manter sua coragem forte desafiando-se a fazer uma pequena coisa a cada semana que requer um pouco de medo e risco – qualquer coisa que o deixe um pouco nervoso. Isso pode significar comer em um restaurante que o intimida (como um lugar chinês muito autêntico onde você não está familiarizado com os pratos e os funcionários não falam muito português), conversar com um estranho, negociar o preço de alguma coisa (até o pão na padaria), visitar uma igreja que você nunca esteve antes, convidar alguém para jantar, etc.

Veja quantas semanas consecutivas desse “desafio de coragem” você pode sustentar e, quando uma situação realmente assustadora for apresentada a você , você descobrirá que tem a capacidade de enfrentá-la com um coração mais corajoso.

__________

Gostou desse artigo? Siga-nos no Instagram e acompanhe artigos como esse e muito mais conteúdo exclusivo.

Este artigo foi publicado originalmente por The Art of Manliness e foi traduzido e adaptado pelo Parabellum  (www.SejaParabellum.com.br)

Write A Comment

%d blogueiros gostam disto: